(47) 3321-2900

IoT made in Brazil”: Beacons com tecnologia 100% brasileira chegam ao mercado

Dispositivo que emite sinais BLE (bluetooth low energy) já está disponível via fabricante e suporte nacional.

beacons_com_tecnologia

 

Há 20 anos, a Internet se tornava febre no Brasil. Com o desenvolvimento da tecnologia, ela passou a oferecer um fluxo quase infinito de informações e diferentes formas de comunicação gratuitas. Mas a sua usabilidade evoluiu de tal forma que atualmente já existe a possibilidade de conectar à internet aos objetos da vida cotidiana. Estamos falando sobre a Internet das Coisas, também conhecida por IoT. A expectativa, de acordo com o Cisco IBSG, é que até 2020, existam 50 bilhões de dispositivos conectados, o que significa que existirão 6.58 dispositivos por pessoa, se considerada uma população mundial de 7.6 bilhões de pessoas.

 

Diante desse cenário, a Taggen, empresa especializada em projetos e soluções IoT, em parceria com a Unidade EMBRAPII CPqD – uma das principais instituições de pesquisas do país focada em inovação com base em Tecnologia da Informação e Comunicação, desenvolveu o primeiro beacon totalmente projetado e fabricado no Brasil – o chamado TAGGEN BEACON. O protótipo que já havia sido apresentado no 1º Fórum Brasileiro e Latino Americano de Internet das Coisas, realizado no mês de setembro do ano passado em São Paulo, despertou grande interesse, por se tratar de um Beacon com inúmeros diferenciais em relação aos existentes no mercado internacional e sendo recebido com entusiasmo pelos participantes do evento.

 

O beacon é um pequeno dispositivo que emite sinais por meio da tecnologia Bluetooth Low Energy, também conhecida como BLE. Eles são captados por qualquer dispositivo que trabalhe com bluetooth, como smartphones, tablets, notebooks e outros. O Taggen Beacon trabalha com padrões de mercado criados pela Apple (Apple iBeacon) e Google (EddyStone), garantindo sua compatibilidade com padrões internacionais. Esse tipo de dispositivo, até então era acessível somente através de importação que não podem ser utilizados em produtos no país na falta de certificação pela Anatel. Com a fabricação nacional a Taggen facilita as empresas poderem usufruir da tecnologia para a criação de inúmeras aplicações inovadoras recriando seus negócios. A exemplo, como o Beacon pode ser detectado por qualquer Smartphone permite a criação de ‘apps’ que fornecem informações aos seus usuários e terceiros, como divulgações promocionais, envio de mensagens publicitárias, promoções instantâneas, localização de pessoas e objetos, navegação indoor e outdoor, rastreabilidade e muitas outras.

 

Mário Prado, CTO da TAGGEN Soluções IoT, ressalta o alto padrão de tecnologia usado para a fabricação do beacon. “Nos últimos 4 meses validamos exaustivamente os recursos e vantagens do nosso beacon para um lançamento consistente no mercado nacional, com o auxílio do nosso principal parceiro, o CPqD. Com seus excelentes profissionais, laboratórios e procedimentos de testes , fizemos um benchmarking comparativo com os melhores dispositivos mundiais. Como resultado obtivemos números empolgantes como: consumo de energia reduzido aumentando sua durabilidade em acima de 15% quando comparado com os principais concorrentes internacionais; sinal de broadcast extremamente estável; alcance de até 150 metros em campo aberto e em algumas avaliações passando de 200 metros.

 

Sem falar de outros recursos: Nosso Beacon é totalmente configurável, suportando os dois padrões existentes no mercado (EddyStone e/ou iBeacon) onde inclusive implementamos algumas extensões extremamente uteis para desenvolvedores de soluções como buzzer polifônico; botão de evento e sensores diversos. Já está ‘saindo do forno’ e muito em breve, lançaremos uma multi-plataforma de ferramentas que facilitarão o uso da tecnologia por empresas que desejam desenvolver suas soluções sem serem necessariamente ‘experts’ na tecnologia Beacon e em desenvolvimento de software”, explica.

.

Já o CEO da TAGGEN, Werter Padilha, pontua a estratégia da cia para entrada no mercado. “Embora lançado em setembro passado no Fórum IoT, prudentemente esperamos até o início de desse ano para o efetivo ‘go-to-market’ revalidando os excepcionais resultados de testes de campo juntamente com vários parceiros ‘early-adopters’. Durante todo 2016 fomos recebendo muitos contatos de empresas interessadas no uso da tecnologia para criarem novas unidades de negócio e/ou se reinventarem em seus legados.

 

Tomamos o devido cuidado de consolidar o processo produtivo, orgulhosamente com parceiros nacionais, e somos capazes de produzir dezenas de milhares de Beacons em poucas semanas. Já estamos atendendo os primeiros pedidos. No decorrer deste trabalho construímos uma rede de clientes (parceiros de negócios) denominada TAGGEN IoT ALLIANCE, onde entre estes já temos dado suporte na aplicação do Beacon em seus segmentos de atuação como: processos industriais, movimentação logística, saúde, agronegócio, automotivo, alimentício, eventos & turismo, entre outros. Tem sido fascinante ver estes parceiros não somente vir atrás de nossos beacons como também compartilhar suas ideias e projetos pedindo que os auxiliemos na construção de suas soluções.

 

Realmente valeu muito a pena em ter esperado um pouco mais para consolidar os resultados e também já lançar este ecossistema de apoio a nossos clientes. O Brasil mais uma vez prova que temos expertise e capacidade tecnológica, empreendedorismo inovador, à altura de competir e sobressair diante dos melhores e maiores players mundiais que também estão se preparando para esta corrida. ” Esclarece.

 

Fonte: Segs

Sua vez de falar

Deixe seu comentário:

Seu email não será publicado.